Portal NetEscola

A conquista da América e as formas de organização política dos indígenas e europeus: conflitos, dominação e conciliação – 7º Ano – 2ª quinzena – 3º corte – AULA E IMPRESSÃO - 21/09/2020

Oi Galera!!!!!

Preparado para aula de hoje?

Vamos conhecer um pouco das nações indígenas brasileiras, das origens até a atualidade.

Você vai gostar!!!

Leia o texto a seguir:

Conflitos entre europeus e indígenas na América: Conflitos no Brasil

          A relação entre os portugueses e os índios vai muito além da utilização da mão-de-obra e da exploração do pau-brasil. Cabe destacar, que para o povoamento do território foi imprescindível as alianças entre portugueses e determinadas tribos indígenas que viviam no território brasileiro. Num ambiente extremamente hostil, com um número de homens insuficiente, as alianças com indígenas era de fundamental importância para que os portugueses pudessem fazer frente a outras tribos indígenas inimigas e invasores estrangeiros.

           Há de se destacar, igualmente, que a guerra entre índios era algo comum, uma verdadeira obsessão, até mesmo pela grande diversidade de culturas indígenas disputando território. Não raro, essas tribos viam um grande potencial em se aliar com os portugueses com a finalidade de derrotar tribos inimigas. Nessas guerras entre índios, os portugueses conseguiram, sem grandes dificuldades, por exemplo, um grande número de indígenas que eram capturados por tribos inimigas e trocados com os portugueses. Nesse sentido, é justo dizer, que a conquista do território pelos portugueses – e o extermínio de milhares de indígenas – tal qual na América espanhola, foi realizada com grande colaboração dos nativos que habitavam o território brasileiro.

            Foram os índios, ou mais especificamente, os tupiniquins, por exemplo, que ajudaram os portugueses a expulsar os franceses do Rio de Janeiro, e mais que isso, os índios ficaram responsáveis por resguardar aquela região de ataque de invasores externos. Como prêmio pela grande colaboração, inúmeras lideranças indígenas ganharam territórios e prestígio, adotando, por vezes, nomes portugueses e se integrando a sociedade colonial que estava sendo formatada. Se por um lado, existiu uma impressionante aniquilação de tribos indígenas inteiras – através da guerra, ou do choque biológico – por outro, certamente milhares de índios foram aculturados e incorporados na nova sociedade que estava sendo construída, dando origem à composição genômica da sociedade brasileira, que apresenta quase 10% de ancestralidade indígena.

           Os tupiniquins tiveram importante participação na colonização portuguesa da região de Santos e Bertioga no século XVI e na fundação da cidade de São Paulo, em 1554, pelos padres jesuítas Manuel da Nóbrega. Eram aliados dos colonizadores portugueses.  O pesquisador Carlos Augusto da Rocha Freire consignou que os tupiniquins ocupavam, no século XVI, terras situadas entre o atual município baiano de Camamu e o Rio São Mateus (ou Rio Cricarê), no atual estado do Espírito Santo. Foram catequizados por jesuítas em “Aldeia Nova”, sofrendo com pragas exógenas (como a varíola) e endógenas (como as formigas, que lhes destruíram as plantações). Serafim Leite consignara, em História da Companhia de Jesus no Brasil, que o Acampamento dos Reis Magos era, quase todo, composto por tupiniquins.  

Índios Tupiniquins a Bordo da Nau de Cabral. Pintura de Oscar Pereira da Silva, 1900. No dia que a esquadra partiu rumo à Índia, um grupo de índios tentou entrar a bordo da Nau de Cabral querendo acompanhá-lós, mas foram impedidos pela tripulação.

          Em 1610, o padre João Martins obteve, para os nativos, uma sesmaria, mensurada somente em 1760. O principal centro desse território era a vila de Nova Almeida, que, na data de sua demarcação, contava com 3 000 habitantes. Auguste de Saint-Hilaire registra, no início do século XIX, sua existência.  Em 1860, o imperador brasileiro Pedro II encontrou-se, em Nova Almeida, com uma mulher tupiniquim, registrando o fato em seu diário. Em meados do século XIX, o pintor Auguste François Biard anotou sua presença em famílias dispersas, junto a imigrantes italianos.

           No século XX, o Serviço de Proteção aos Índios instalou, no Espírito Santo meridional, uma de suas zonas de atuação, sendo encontrados, em 1924, alguns tupiniquins.

Vamos fixar sua aprendizagem.

  1. A relação entre os portugueses e os índios vai muito além da utilização da mão-de-obra e da exploração do pau-brasil. Sobre a relação de alianças entre indígenas e portugueses, tratadas no texto, identifique as alternativas a seguir as que são verdadeiras (V) das que são falsas.

       a) (  ) Para o povoamento do Brasil foi imprescindível as alianças entre portugueses e determinadas tribos indígenas que viviam no território brasileiro.

       b) (  ) Algumas tribos viam um grande potencial em se aliar com os portugueses com a finalidade de derrotar tribos inimigas.

       c) (  ) A conquista do território pelos portugueses – e o extermínio de milhares de indígenas – tal qual na América espanhola, foi realizada com grande colaboração dos nativos que habitavam o território brasileiro.

       d) (  ) Como prêmio pela grande colaboração, inúmeras lideranças indígenas ganharam territórios e prestígio.

  1. Povos indígenas que tiveram importante participação na colonização portuguesa no século XVI e na fundação da cidade de São Paulo.

       a. (  ) Tupiniquins

       b. (  ) Carajás

       c. (  ) Guaranis

       d. (  ) Tupis

Enquanto o texto anterior trata das alianças entre indígenas e portugueses o texto a seguir trata do Genocídio indígena no Brasil.

Leia o texto a seguir:

Genocídio indígena no Brasil

           Calcula-se que na época da chegada dos primeiros portugueses no nosso país, a população indígena contava entre 3 e 5 milhões de habitantes. Hoje segundo o IBGE ela não ultrapassa 400 mil. Como você explica este fato? Vejam o que Demétrio Magnoli fala sobre Genocídio e Etnocídio em seu livro Geografia para o ensino médio, editora Saraiva , volume 2 /1ª edição 2010.

“No momento da conquista europeia, milhões de indígenas habitavam as terras que viriam fazer parte da América portuguesa. Não há estatísticas sobre a população indígena original, e as estimativas variam de 1 a 10 milhões de habitantes. …Um genocídio em câmara lenta acompanhou a colonização portuguesa e prosseguiu nos séculos XIX e XX no Brasil independente”.

           O extermínio atingiu primeiro os Tupis, que habitavam o litoral. No século XVII, chega aos sertões nordestinos, ao vale do São Francisco e as reduções jesuíticas do Sul e Sudeste do país. Nos séculos seguintes chegaria as terras do Brasil central. A intensificação do extermínio caminhava junto ao avanço da colonização e o desenvolvimento de atividades econômicas cada vez mais longínquas do litoral.

“Os indígenas conheceram o extermínio físico e cultural. Com exceção marcante Amazônia , a localização dos grupos indígenas atuais evidencia as migrações forçadas que a conquista territorial impôs “.Demétrio Magnoli

            Dos cerca de 400 mil indígenas contados pelo IBGE, a maioria perdeu sua língua original e fala apenas o português. Nas diversas aldeias remanescentes, hábitos e costumes dos ” homens brancos” vão aos poucos sendo incorporados substituindo elementos culturais nativos. A aculturação forçada ou não, é a que mais se apresenta. A cada ano milhares de índios transferem-se para as fazendas ou cidades das proximidades de suas aldeias rompendo os laços com suas culturas e tradições. Os direitos dos índios começam com a criação do SPI (serviço de proteção ao índio) em 1910. Em 1967 é a criada a Funai (Fundação Nacional do Índio ) órgão responsável pela tutela e proteção e demarcação das terras dos índios . O estatuto do índio que define os indígenas como “relativamente incapazes ainda está em vigor apesar dos avanços alcançados na constituição de 1988 em relação aos direitos permanentes das sociedades.

  1. Pesquise e construa um glossário sobre conceitos importantes para compreensão do processo.

Conceito

1. Genocídio

2. Etnocídio

3. Extermínio

4. Aculturação

Especificação

1.

2.

3.

4.

  1. Agora que você já sabe o significado destes conceitos, e já leu dois textos sobre os povos indígenas. Utilize estes conceitos (Genocídio, Etnocídio, Extermínio e aculturação) e escreva um pequeno texto sobre os povos indígenas no Brasil.

Faça as anotações no caderno.

  1. Cite alguns documentos criados para garantir os direitos dos povos indígenas, dissertando sobre as suas importâncias para a preservação destes povos.

6. Leia o trecho do texto a seguir:

“Os indígenas conheceram o extermínio físico e cultural. Com exceção marcante Amazônia, a localização dos grupos indígenas atuais evidencia as migrações forçadas que a conquista territorial impôs”.

Escreva um parágrafo relatando em que consiste o extermínio físico e cultural. Se necessário recorra aos instrumentos de pesquisa que você tem disponível.

  1. Observe a imagem a seguir e relate o que o mapa está representando.

Pense nisso!!!!

Se cuidem, eu me preocupo com vocês.

Um abraço virtual!!

7º-ANO-HIST-2 quinzena-3 corte