Portal NetEscola

As revoluções inglesas e os princípios do liberalismo; Política e sociedade na Inglaterra dos séculos XVI e XVII – Atividade 2 - 05/02/2021

Revoluções inglesas | Tempo de Estudar | História | 8º ano - YouTube



Leia os textos a seguir

REVOLUÇÕES INGLESAS

Ascensão da Burguesia

Para entender sobre as Revoluções Inglesas, que aconteceram no século XVII, antes é necessário compreender a situação em que se encontrava a Inglaterra antes desse período. No século XVI, o país inglês passava por alguns momentos transitórios, já que características feudais ainda eram existentes no local, principalmente em relação ao comércio e ao plantio das terras.

Elisabeth I, que era uma rainha da dinastia Tudor, filha de Henrique VIII, iniciou um novo processo comercial no país, investindo na marinha inglesa e na pirataria, com o intuito de fortalecer a economia da época.

Outra questão importante é referente as terras que Henrique VIII confiscou da Igreja Católica, quando transformou a Inglaterra em anglicana. Essas terras foram vendidas, gerando lucro.

No mesmo período, foi instituída uma lei chamada Lei dos Cercamentos de Terras, em que as terras que eram utilizadas de maneira geral passaram a ser cercadas e vendidas para nobres burgueses, que investiam nesses espaços.

Essas áreas foram concentradas, gerando um êxodo rural. Já que os camponeses não possuíam mais espaços naquele território, eles passaram a ir para a cidade, em busca de novos trabalhos, a exemplo das manufaturas têxteis.

Como nada é por acaso, na maior parte das terras que foram vendidas havia uma grande criação de ovelhas, para a produção de lã, que eram vendidas para as cidades onde se instalavam as produtoras têxteis. Então, uma servia de matéria-prima para a outra, que gerou em seguida os primeiros indícios da Revolução Industrial.

Com uma duração de quase 50 anos, entre 1642 e 1689, as Revoluções Inglesas foram cercadas por quatro momentos específicos. Esse período foi considerado a primeira grande revolução da burguesia dentro da Europa e o início de uma mudança de tempos que questionava o Absolutismo e a nobreza no poder.

Tudo começou com a morte da rainha Elisabeth I, conhecida como a rainha virgem, pois não havia gerado um sucessor. Foi então que se iniciou uma nova era, a da dinastia Stuart.

O primeiro rei a governar nessa época foi o Jaime I. A princípio, ele começou a inserir diversas mudanças que não agradaram ao Parlamento, nem tão pouco a sociedade. A primeira dela foi a chamada Intolerância Religiosa. Por ter influências católicas, ele não permitia o Calvinismo, perseguindo aqueles que praticavam tal religião.

Além disso, ele passou a aderir ao que foi chamado de Direito Divino dos Reis, concedia aos monarcas grandes poderes no governo do Estado. Porém, não se tratava de uma teoria política prática, e sim um aglomerado de ideias e crenças.

Com isso, Jaime I começa a mostrar um poder autoritário, onde a única opinião que interessava era a do rei, desagradando então o Parlamento. Ele morreu em 1625, sendo sucedido pelo filho Carlos I, que permaneceu com os mesmos ideais do pai, além de mudar as tarifas alfandegárias e implementando o que foi chamado de Ship Money, que era o imposto cobrado anteriormente apenas em regiões portuárias, e com a chegada do novo rei passou a ser exigido em todas as cidades inglesas.

Rainha Elisabeth I

Após tantas desavenças entre o rei e o Parlamento, foi instalada uma Guerra Civil, quando o exército de Carlos I foi derrotado e ele foi executado, em 1649, após ser condenado por traição contra Inglaterra.

Entre os anos de 1649 e 1658, ocorreu o que foi chamado de Revolução Puritana. Na época, a Inglaterra era governada por Oliver Cromwell, que também acreditava no autoritarismo do rei como base do governo. Cromwell morreu em 1658, tendo seu filho como sucessor, mas que não obteve o mesmo prestígio que seu pai no poder. Foi então que o Parlamento e a sociedade civil tomaram uma decisão arriscada, restaurar a monarquia Stuart.

Surgiu então o retorno da dinastia Stuart, período que foi governado por Carlos II e em seguida por Jaime II, entre os anos de 1658 e 1688. Porém, as divergências do Parlamento permaneciam.

O reinado de Carlos II durou até o ano de 1665, sendo sucedido pelo irmão Jaime II, que tinha como um dos principais objetivos reinstituir o catolicismo e o Absolutismo na Inglaterra.

Diante das ameaças de retorno ao velho modelo de governo, os parlamentares organizaram um poderoso exército para combater Jaime II. Este, temendo ser decapitado, refugou-se na França. Para substituí-lo, os parlamentares escolheram o genro de Jaime II, um nobre holandês protestante, Guilherme de Orange, que assumiu o trono com o título de Guilherme II (1668). Esse episódio ficou conhecido como Revolução Gloriosa porque ocorreu sem derramamento de sangue.

O novo monarca assinou a Declaração de Direitos (Bill of. Rights), documento que pôs fim ao Absolutismo e instaurou na Inglaterra a monarquia constitucional, sistema que limitava definitivamente os poderes do rei e ampliava os do Parlamento.

Foi uma vitória do regime parlamentar sobre o Absolutismo real e o início de um período de moderação entre burguesia e nobreza na política na Inglaterra, sistema de governo que recebeu o nome de monarquia parlamentar.

IMPORTÂNCIA DA REVOLUÇÃO GLORIOSA

A Revolução Gloriosa é um marco na história da Inglaterra e também do mundo. Primeiramente, se considerarmos a revolução aqui abordada dentro do contexto da Revolução Inglesa, perceberemos que se trata da primeira revolução burguesa da história. A mobilização da burguesia tinha como objetivo combater os privilégios da nobreza típicos do feudalismo e do absolutismo, que impediam o desenvolvimento econômico burguês. No século seguinte, novas revoluções burguesas aconteceram — como a Revolução Francesa.

A monarquia constitucional parlamentarista da Inglaterra consolidou-se por meio da Declaração dos Direitos de 1689 (Bill of Rights). Guilherme de Orange e Maria Stuart, antes de serem coroados rei e rainha, tiveram que assinar o termo jurando obediência a ele. A Declaração dos Direitos era um dispositivo legal que criava condições para impedir o retorno do absolutismo na Inglaterra. Ela decretava, por exemplo, que:


 

Com a Revolução Gloriosa, Maria Stuart, filha de Jaime II, foi coroada rainha da Inglaterra.

A Revolução Gloriosa foi importante para a história da Inglaterra, pois criou as condições políticas que permitiram o desenvolvimento da burguesia. Esta passou a investir no desenvolvimento tecnológico e científico, que foi fundamental para que a Inglaterra se tornasse o país pioneiro no processo de desenvolvimento industrial conhecido como Revolução Industrial. Isso, em longo prazo, transformou a Inglaterra na maior potência industrial e comercial do mundo no século XIX.

A Revolução Gloriosa propiciou várias mudanças na Inglaterra:


Igualmente, surgiu uma nova forma de governo – a chamada monarquia parlamentar em detrimento do absolutismo. Deste modo é aprovado o Bills of Rights (Declaração dos Direitos), documento que garante:


Revolução Industrial e Revolução Francesa

A Revolução Gloriosa possui duas características marcantes: a forma pacífica como se desenvolveu e o marco do fim do absolutismo. Em decorrência do fim do absolutismo e a ascensão do poder da burguesia, algumas décadas depois tem início o processo de Revolução Industrial Inglesa. Desta maneira, se estabelece finalmente a supremacia burguesa.

Cem anos depois da Revolução Gloriosa acontece, por sua vez, a Revolução Francesa. Esta será impulsionada pela burguesia e tinha como um dos objetivos limitar o poder do rei.

A França, tal como a Inglaterra e a Espanha, foi um dos principais países absolutistas. O país também aspirava ao crescimento econômico, enquanto a rival Inglaterra vivia, justamente, o processo de Revolução Industrial.



A Revolução Inglesa pode ser dividida em quatro fases principais:

  • A Revolução Puritana e a Guerra Civil, de 1640 a 1649;
  • A República de Oliver Cromwell, de 1649 a 1658;
  • A Restauração da dinastia Stuart, com os reis Charles II e Jaime II, de 1660 a 1688;
  • A Revolução Gloriosa, que encerrou o reinado de Jaime II e instituiu a Monarquia Parlamentarista.

Disponível em: https://www.todamateria.com.br/revolucao-gloriosa/ Acesso em: 10 de nov de 2020.



ATIVIDADE

1. No século XVI, o país inglês passava por alguns momentos transitórios, já que características feudais ainda eram existentes no local, principalmente em relação ao comércio e ao plantio das terras. Esse momento transitório refere-se à transição do

a) ( ) capitalismo para o socialismo.

b) ( ) capitalismo para o feudalismo.

c) ( ) feudalismo para o capitalismo.

d) ( )  socialismo para o capitalismo.



2. Neste período transitório, foi instituída uma lei chamada Lei dos cercamentos de Terras. Em que consistia a lei de cercamentos de terras?



3. Os Cercamentos de terras geraram uma concentração de terra, qual foi a principal consequência destes cercamentos e o que ele gerou?

Imagem disponível em:https://www.fau.usp.br/docentes/depprojeto/c_deak/CD/4verb/cercamentos/index.html Acesso em: 10 de nov de 2020.





4. Com uma duração de quase 50 anos, entre 1642 e 1689, as Revoluções Inglesas foram cercadas por quatro momentos específicos. Quais foram essas fases e em que consistia cada uma delas.



5. Das alternativas a seguir marque (V) para as verdadeiras e (F) para as falsas. Sobre as revoluções inglesas pode-se dizer que

a) ( ) Esse período foi considerado a primeira grande revolução da burguesia dentro da Europa.

b) ( ) O Direito Divino dos Reis, limitava o poder dos monarcas no governo do Estado e se tratava de uma teoria política prática.

c) ( ) Ship Money, era um tipo de imposto cobrado apenas nas regiões portuárias, e passou a ser exigido em todas as cidades inglesas.

d) ( ) Declaração de Direitos (Bill of. Rights), foi o documento que pôs fim ao Absolutismo e instaurou na Inglaterra a monarquia constitucional, sistema que limitava definitivamente os poderes do rei e ampliava os do Parlamento.



6. Com as revoluções inglesa, surgiu uma nova forma de governo – a chamada monarquia parlamentar em detrimento do absolutismo. Deste modo é aprovado o Bills of Rights (Declaração dos Direitos), quais foram as principais garantias asseguradas por esse documento?



7. A Revolução Gloriosa possui duas características marcantes: a forma pacífica como se desenvolveu e o marco do fim do absolutismo. Com suas palavras em algumas linhas disserte sobre os principais desdobramentos desta revolução tanto na Inglaterra como também para a Europa e o mundo.





Se for possível, baixe ou imprima a atividade.