Portal NetEscola

Divisão Internacional do Trabalho – Atividade 2 - 10/02/2021

Divisão internacional do trabalho


Divisão Internacional do Trabalho


         A Divisão Internacional do Trabalho (DIT) é o conceito utilizado para descrever a forma pela qual se dão os diferentes processos de produção nos países e áreas econômicas.

Cada território possui uma forma específica de produção e desenvolvimento, criando divisões e hierarquia entre os diferentes países. Esse contexto cria uma separação entre os países desenvolvidos que compõem os centros econômicos e os países subdesenvolvidos, periféricos.

        Com base na DIT, cada país desempenha um papel específico, possui uma especialização, que o torna mais, ou menos, dependente economicamente no cenário global.

Tabela sobre a DIT ao longo da história

A nova DIT

       A partir da segunda metade do século XX, ocorre um processo de industrialização em muitas partes do globo, a chamada “industrialização tardia” e surgem os chamados países “em desenvolvimento”. Dentre os países que se industrializaram tardiamente, encontra-se o Brasil.

        A nova DIT possui maior complexidade, há uma certa descentralização, alguns países assumem uma posição intermediária entre os desenvolvidos formam os grandes centros tradicionais e os países periféricos.

     Entretanto, há a manutenção das desigualdades entre os países produtores e consumidores de tecnologia. Isso se dá a partir do desenvolvimento de novas tecnologias nos países industrializados.

    A partir do advento da globalização, os avanços técnicos nas comunicações e nos transportes permitiram uma grande mudança nos modos de produção.

     Os países desenvolvidos investem em pesquisa, em mão-de-obra altamente qualificada e terceirizam a produção para os países subdesenvolvidos. Nesses locais, os altos índices de desemprego e os baixos salários diminuem os custos do processo produtivo

http://Disponível em: https://geoonline1000.wixsite.com/geoonline/single-post/2015/09/07/DIT-Divisão-Internacional-do-Trabalho Acesso em: 03 de nov de 2020

        Assim, surge um novo modo de produção que se difere da DIT tradicional. Com a expansão das empresas multinacionais, muitos países subdesenvolvidos passam também a fornecer produtos industrializados, mas sem o domínio das tecnologias necessárias para esse tipo de produção, que continuam sendo controladas pelos países dos centros econômicos.

A DIT tradicional

             A forma tradicional da DIT se desenvolveu a partir do século XVI, no período das grandes navegações e da colonização. Assim, assume uma forte divisão entre a produção das metrópoles e a extração de produtos nos territórios colonizados.

Nas metrópoles (centro), era desenvolvida a manufatura e o comércio a partir da atividade de trabalhadores livres ou independentes. Já nas colônias (periferias), eram desenvolvidas atividades de exploração e extração de matéria-prima com o uso do trabalho escravo.

         A partir do século XVIII, dá-se início ao processo de industrialização da Europa, cresce a proporção de trabalhadores assalariados com o objetivo de preenchimento dos postos de trabalho nas fábricas. Enquanto nas colônias, mantém-se o trabalho de mão-de-obra escravizada, voltada para a produção de bens primários, sobretudo agrícolas, destinada ao mercado externo.

         A primeira metade do século XX marca a DIT entre os países desenvolvidos (industrializados): Estados Unidos, Japão e os países da Europa. O restante dos países (periféricos), ainda destinados à produção de bens primários, são marcados por uma ligeira mudança com surgimento do trabalho assalariado.

      Marca-se assim a DIT, a partir da especialização da produção em diferentes países, sua atuação e relevância para a economia global.

     Assim, como os países desenvolvidos ocupam lugares distintos no contexto econômico, os países periféricos, a partir da década de 1950, passam por um processo de industrialização também desigual, chamado de “nova DIT”.

Disponível em: https://www.todamateria.com.br/dit-divisao-internacional-do-trabalho/ Acesso em: 03 de nov de 2020

ATIVIDADES

  1. “A industrialização ampliou a divisão do trabalho dentro da unidade de produção (a fábrica) e no interior da sociedade de cada país. Ao mesmo tempo, estabeleceu a Divisão Internacional do Trabalhoentre os países industriais e as regiões fornecedoras de produtos agrícolas e minerais”.

(LUCCI, E. A. et. al. Território e sociedade no mundo globalizado: Geografia Geral e do Brasil. Ensino Médio. Editora Saraiva, 2005. p.56).

Assinale a alternativa que NÃO expressa uma característica da Divisão Internacional do Trabalho (DIT).

a) (   ) Os países desenvolvidos exportam produtos tecnológicos e os países subdesenvolvidos exportam matérias-primas.

b) (   ) A formação da DIT está relacionada, principalmente, com os eventos ligados ao colonialismo.

c) (   ) Conferências internacionais são anualmente realizadas para se definir qual tipo de produto cada país produzirá no contexto do comércio internacional.

d) (   ) A Divisão Internacional do Trabalho envolve, entre outras questões, as relações desiguais entre o norte desenvolvido e o sul subdesenvolvido nos campos político e econômico.

  1. A lógica da operação das empresas multinacionais ou globais no contexto da Divisão Internacional é:

a) (   ) a inserção dessas no mundo desenvolvido, proporcionando uma maior democratização no acesso às novas tecnologias em todo o mundo.

b) (   ) a atualização do sistema internacional, quando os países subdesenvolvidos, agora industrializados, também passam a exportar produtos industrializados.

c) (   ) a ampliação da política do pleno emprego que, a partir da segunda metade do século XX, adquiriu uma dinâmica global.

d) (   ) o fortalecimento das leis ambientais e trabalhistas, principalmente naqueles países onde essas indústrias se instalam, dinamizando assim o processo de distribuição de renda.


  1. Observe a charge a seguir:

        A ilustração é uma crítica à Divisão Internacional do Trabalho. Além disso, é correto assinalar que ela retrata:

a) ( ) O avanço da ciência, produzindo um mundo mais igualitário onde os países capitalistas desenvolvidos asseguram um novo sistema técnico-científico a todos os cidadãos do globo.

b) ( ) A divisão do mundo entre os países capitalistas industrializados e as empresas transnacionais que representam o grande capital financeiro.

c) ( ) A presença das novas tecnologias, ao mesmo tempo, nas diversas regiões do mundo, devido ao processo de globalização.

d) ( ) A existência de “dois mundos”: um produtor de tecnologias e outro fornecedor de matérias-primas.

4. Assinale qual dos fenômenos abaixo não representa uma consequência das atuais condições da Divisão Internacional do Trabalho:

a) ( ) Intensificação da Globalização e dos meios
tecnológicos.
b) ( ) Descentralização industrial e produtiva

c) ( ) Expansão das grandes corporações para todo o
mundo.
d) ( ) Desconcentração das riquezas mundiais.



  1. Explique o conceito da Divisão Internacional do Trabalho


  2. Como era a relação das metrópoles e colônias durante a primeira fase da DIT?



  3. Quais fatores diferem – principalmente – países desenvolvidos e países subdesenvolvidos sob o contexto da Nova DIT?

NÃO ESQUEÇA DE IMPRIMIR SUA ATIVIDADE!!!

9º GEO Atividade 2 – Divisão Internacional do Trabalho