Portal NetEscola

Indicadores socioeconômicos brasileiros – Atividade 2 - 09/02/2021

Hoje, falaremos sobre:

Indicadores Sociais

Mas…

O que são Indicadores Sociais?

Indicadores sociais são estatísticas sobre aspectos da vida de uma nação que, em conjunto, retratam o estado social dessa nação e permitem conhecer o seu nível de desenvolvimento social.

Os Indicadores Sociais constituem um sistema, isto é, para que tenham sentido, é preciso que sejam vistos uns em relação aos outros, como elementos de um mesmo conjunto.

A escolha dos aspectos que retratam o estado social de uma nação é uma tarefa difícil, porque depende de acordo entre o governo, políticos em geral e a sociedade organizada (sindicatos, associações de moradores, associações de classe, grupos religiosos, dentre outros) sobre os critérios mais importantes para se fazer esta escolha.

Por exemplo, você pode achar que o mais importante para se dizer que um país está se desenvolvendo é a quantidade de exportações que ele realiza; um amigo seu pode achar que o aumento do número de trabalhadores é que indica o progresso da nação.

Hoje em dia, porém, como já existe um consenso sobre os critérios de seleção dos aspectos que melhor retratam o estado social de uma nação, já se pode falar de um conjunto mínimo de Indicadores Sociais.

Tal conjunto é composto por informações sobre as características da população, sobre a dinâmica demográfica, sobre trabalho e rendimento; sobre saúde, justiça e segurança pública, educação e condições de vida das famílias.



Através destes indicadores, pode-se ainda indicar os países como sendo:

→ ricos (desenvolvidos),

→ em desenvolvimento (economia emergente)

→ ou pobres (subdesenvolvidos).



Para que isso ocorra, organismos internacionais analisam os países segundo:

⇒Expectativa de vida (média de anos de vida de uma pessoa em determinado país).

⇒Taxa de mortalidade (corresponde ao número de pessoas que morreram durante o ano).

⇒Taxa de mortalidade infantil (corresponde ao número de crianças que morrem antes de completar 1 ano).

⇒Taxa de analfabetismo (corresponde ao percentual de pessoas que não sabem ler e nem escrever).

⇒Renda Nacional Bruta (RNB) per capita, baseada na “proximidade” de poder de compra dos habitantes.

⇒Saúde (referente à qualidade da saúde da população).

⇒Alimentação (referente à alimentação mínima que uma pessoa necessita, cerca de 2.500 calorias, e se essa alimentação é equilibrada).

⇒Condições médico-sanitárias (acesso a esgoto, água tratada, pavimentação, entre outros).

⇒Qualidade de vida e acesso ao consumo (correspondem ao número de carros, de computadores, televisores, celulares, acesso à internet, etc).




IDH (Índice de Desenvolvimento Humano)

O IDH foi criado pela ONU (Organização das Nações Unidas) com o objetivo de medir o grau econômico e, principalmente, como as pessoas estão vivendo nos países de todo o mundo.

O IDH avalia os países em uma escala de 0 a 1. O índice 1 não foi alcançado por nenhum país do mundo, e dificilmente será, pois tal índice iria significar que determinado país apresenta uma realidade praticamente perfeita, com elevada renda per capita, expectativa de vida de 90 anos e assim por diante.

Igualmente é importante ressaltar que não existe nenhum país do mundo com índice 0, pois se isso acontecesse seria o mesmo que apresentar, por exemplo, taxas de analfabetismo de 100% e todos os outros indicadores em níveis catastróficos.



Indicadores sociais do Brasil

Em linhas gerais, entre os principais problemas brasileiros que repercutem nos indicadores socioeconômicos estão:

Rendimento mensal baixo

O Brasil é um país que se caracteriza por apresentar uma das piores distribuições de renda, com uma grande parcela da população vivendo em situação de pobreza e miséria.

No século XXI, a redução da inflação, a geração de empregos formais, o aumento do salário mínimo acima da inflação e os programas de inclusão social federal contribuíram para a ascensão social de um grande contingente de brasileiros.

Analfabetismo e baixo nível de instrução

O problema da falta de escolaridade ou da baixa escolaridade educacional dificulta o acesso do indivíduo a uma melhor qualificação profissional ou impede que ele desempenhe bem o seu trabalho.

Trabalho infantil

Nas áreas rurais e urbanas, é comum o trabalho infantil, até mesmo com crianças com menos de 10 anos de idade. Em geral, as crianças no Brasil trabalham porque o rendimento mensal dos pais é muito baixo e não assegura a alimentação básica para a família. Assim, elas precisam trabalhar para complementar o rendimento familiar.

Elevadas taxas de mortalidade infantil

A mortalidade infantil é um dos indicadores considerados na avaliação da situação social de um país. O Brasil apresenta elevada taxa de mortalidade infantil em razão da subnutrição e do difícil acesso à saúde pública. Cabe lembrar que este índice vem se reduzindo, sistematicamente, em todas as regiões brasileiras.

Desigualdade de esperança de vida segundo a renda

A esperança de vida varia conforme a renda familiar. Nas famílias de baixa renda, a esperança de vida ao nascer é menor que nas famílias de maior renda.

Insegurança alimentar

Parcela significativa da população brasileira tem renda insuficiente; isso significa que essas famílias não conseguem adquirir os alimentos básicos, nem atender a outras necessidades, como vestuário, habitação, transporte, educação etc.

Moradias subnormais

Ainda existem no Brasil muitas habitações que não atendem às cinco funções principais: ter instalações adequadas para a preparação de alimentos; servir de convívio familiar, social e de lazer; permitir a higiene corporal; ser um lugar em que se possa ter repouso; e constituir abrigo contra o tempo (sol, chuva, frio etc.).

Não são poucas as famílias que vivem em moradias de um só cômodo (ou no máximo de três cômodos); nelas, os indivíduos dividem um espaço reduzido, em condições impróprias para a dignidade humana.

Saneamento básico deficiente

O saneamento básico é necessário para garantir a saúde da população. Ele corresponde à rede de abastecimento de água, à rede coletora de esgoto, à limpeza pública e à coleta de lixo.

No Brasil, ainda ocorrem, por exemplo, casos de cólera, uma doença que se alastra por falta de higiene e saneamento básico, principalmente na rede de esgoto, o que poderia ser evitado com investimentos mais constantes nesse setor.



Quem são os responsáveis pela produção das informações que integram o sistema de Indicadores Sociais?

Na grande maioria dos países, são os órgãos oficiais do governo. No Brasil, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) é o órgão oficial responsável pela produção das estatísticas que compõem o sistema de Indicadores Sociais.

As principais fontes de dados são as pesquisas do próprio IBGE, como as pesquisas censitárias (Censo Demográfico e Contagem Populacional) e por amostra de domicílios (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, PNAD).

Disponível em: https://www.coladaweb.com/economia/indicadores-sociais https://www.sogeografia.com.br/Conteudos/GeografiaHumana/Populacao/populacao8.php Acesso em: 03 de nov de 2020



ATIVIDADE

1. Renda per capita é um indicador muito utilizado para mensurar a situação econômica de um país. Seu cálculo é realizado pela:

a) (  ) Diferença entre a quantidade de nascimentos e óbitos em um país.

b) (  ) Soma de todos os rendimentos de um país durante o ano.

c) (  ) Divisão da renda nacional (ou PNB) pelo número de habitantes de um determinado país.

d) (  ) Soma de todas as riquezas de um país em determinado ano.

2. Qual o objetivo das médias de Índice de Desenvolvimento Humano (IDH)?

3. Observe a tabela a seguir com dados de 2001. Comente a posição do Brasil em relação a sua localização na tabela.

4. O que causa surpresa em relação a essa classificação?

5. Por que o indicador de renda per capita sozinho pode “mascarar” a real situação socioeconômica de um país?

6. O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é uma medida resumida do progresso a longo prazo em três dimensões básicas do desenvolvimento humano: renda, educação e saúde. O objetivo da criação do IDH foi o de oferecer um contraponto a outro indicador muito utilizado, o Produto Interno Bruto (PIB) per capita, que considera apenas a dimensão econômica do desenvolvimento.

Fonte: PNUD, 2018. Disponível em: http://www.br.undp. org/content/brazil/pt/home/idh0.html.

Em seu Relatório de Desenvolvimento Humano divulgado em setembro de 2018, o PNUD demonstrou que no Ranking dos dez países mais bem colocados, em relação ao indicador mencionado no texto e como observado nas últimas décadas, verifica-se uma hegemonia dos países da:

a) (  ) Ásia.b) (  ) América do Norte.c) (  ) Europa.d) (  ) Oceania.




8º GEO Atividade 2 – Indicadores socioeconômicos brasileiros