Portal NetEscola

Introdução à globalização – Atividade 6 - 07/04/2021

Tipos de migração - Mundo Educação

MIGRAÇÃO HUMANA

Migração é uma longa viagem para morar em um novo lugar. Animais migrantes costumam se deslocar entre suas moradas de verão e inverno. Quando as pessoas migram, porém, geralmente se trata de uma mudança permanente. Grande parte da história da humanidade envolve migrações.

TIPOS DE MIGRAÇÃO

Algumas pessoas não têm casa permanente e vivem mudando de um lugar para outro. Esse é o modo de vida nômade. Certos nômades possuem rebanhos, portanto precisam dividir seu tempo entre pastagens de verão e de inverno.

Outros, como os ciganos, mudam frequentemente em busca de novas oportunidades. Trabalhadores rurais que vão de uma fazenda a outra atrás de trabalho também são migrantes.

A mudança dentro de um país é chamada migração interna. A mudança de um país para outro é chamada migração externa. A pessoa que deixa seu país é emigrante daquele país, sendo chamada de imigrante na nova nação em que vive.

Nesta imagem de outubro de 2015, refugiados da Síria e do Iraque atravessam a Eslovênia em sua jornada até a Alemanha, para fugir da guerra. Os refugiados são pessoas que se veem obrigadas a migrar devido às condições precárias ou perigosas em seu país de origem.

A perspectiva de bons empregos ou de terras para cultivo atrai alguns migrantes para uma nova nação. Outros querem escapar de maus-tratos, guerras ou desastres naturais em seu país natal. Às vezes, o governo força a saída de algumas pessoas. Migrantes obrigados a sair de seu país, seja pelo governo ou por razões socioeconômicas, são chamados de refugiados.

Pessoas cativas não têm liberdade para decidir se querem ou não deixar o país, tampouco para onde desejam ir. O comércio de escravos africanos durou do século XVI ao XIX, levando cerca de 20 milhões de pessoas à força para a América do Norte, a América do Sul e as Antilhas. Outros migrantes cativos eram criminosos que, como punição, eram levados de navio para alguma colônia. Países europeus enviaram mais de 150 mil condenados para a Austrália entre 1788 e 1867.

HISTÓRIA – MIGRAÇÕES PRÉ-HISTÓRICAS E ANTIGAS

Segundo muitos cientistas, os primeiros seres humanos viveram na África, de onde foram saindo gradualmente. Primeiro, eles foram para a Europa e a Ásia. Da Ásia, seguiram para a América do Norte, entre 60 mil e 20 mil anos atrás. Eles podem ter ido da Rússia até o Alasca por uma faixa de terra que hoje se encontra submersa.

Ao longo de milênios, as pessoas foram se espalhando pelas Américas do Norte, Central e do Sul.Outros migrantes pré-históricos partiram da Ásia em barcos e chegaram à Austrália há cerca de 40 mil anos. Gradualmente, eles alcançaram todas as ilhas maiores do oceano Pacífico. A Nova Zelândia foi povoada por último, há cerca de 1.200 anos. A gelada Antártica é o único continente jamais procurado por migrantes.

A história registra migrações posteriores. Em uma das primeiras migrações históricas, os antigos israelitas escaparam da escravidão no Egito e foram em busca de liberdade na Palestina, no século XIII a.C.

Mais tarde, nos séculos IV e V d.C., algumas tribos europeias invadiram grande parte do poderoso Império Romano. Chamados de bárbaros pelos romanos, os invasores eram povos hunos, godos e vândalos. Em 476, esses migrantes derrubaram o império.

MIGRAÇÕES NA IDADE MÉDIA

Guerras e conquistas levaram as pessoas a migrar durante a Idade Média, entre o século VI d.C. e cerca de 1500. Alguns povos se envolveram em guerras para tomar novas terras. Outros foram expulsos de seus territórios pelos invasores.

No século VII, exércitos unidos pela fé muçulmana deixaram a península Arábica para disseminar sua religião. Eles conquistaram o norte da África, o oeste da Ásia e a Espanha. No século VIII, a tribo europeia dos francos forçou a tribo dos saxões a ir para o norte da Europa. Entre os séculos IX e XI, os vikings do norte da Europa atacaram o oeste europeu e lá se fixaram.

Os vikings radicados na França se tornaram conhecidos como normandos e conquistaram a Inglaterra em 1066. A partir de cerca de 1200, o povo mongol, do centro da Ásia, conquistou grande parte da Ásia e do leste europeu.

MIGRAÇÕES NA AMÉRICA

O explorador europeu Cristóvão Colombo chegou à América em 1492. Após sua viagem, ocorreram migrações de pessoas da Espanha, de Portugal, da França, da Inglaterra e da Holanda. Até 1800, porém, era pequeno o número de imigrantes da Europa.

O maior grupo imigrante era o de africanos escravizados, trazidos aos milhões por europeus para vários países da América, dentre eles o Brasil.

Após 1800, a superpopulação, as guerras e desastres naturais na Europa aumentaram a migração para a América.

Uma família italiana recém-chegada a Nova York, na época da Segunda Guerra Mundial.

Milhões de europeus foram para o Canadá e a América do Sul, mas a maioria dos migrantes seguiu para os Estados Unidos.

A partir da década de 1830, alemães, noruegueses e suecos se instalaram nos Estados Unidos. Na década de 1840, a safra arruinada de batata na Irlanda, com a fome subsequente, fez muitos cidadãos do país irem também para os Estados Unidos. Italianos, gregos e europeus do leste foram depois para lá. Ao todo, entre 1880 e 1910, cerca de 17 milhões de europeus migraram para os Estados Unidos.

No início do século XX, a migração para esse país era tão grande que o governo americano passou a estabelecer cotas para limitar o número de imigrantes de certos países.

A MIGRAÇÃO NO BRASIL

O Brasil constituiu outro grande foco de atração de imigrantes. A fundação de Salvador, na Bahia, atraiu muitos portugueses já no século XVI. A descoberta de ouro e pedras preciosas em Minas Gerais contribuiu bastante para trazer levas de europeus, nos séculos seguintes. Com a escravidão, milhões de africanos sofreram o processo de migração forçada para o Brasil até o século XIX.

Depois da independência e, em especial, a partir do fim do século XIX, acompanhando as etapas de desenvolvimento econômico do país, vieram para o Brasil grandes levas de estrangeiros, principalmente portugueses, italianos, espanhóis, japoneses e alemães, entre muitas outras nacionalidades. Esse foi um período essencial para a história da imigração no Brasil, contribuindo muito para o crescimento da população.

O Monumento dos Imigrantes, criado pela escultora Neide Ono, representa a chegada dos colonos mineiros que, no século XIX, fundaram Campo Grande, capital de Mato Grosso do Sul.
Imigrantes recebem a cidadania canadense na província de Ontário, em 2011. A política especial de imigração criada pelo Canadá atraiu pessoas do mundo todo, dentre elas muitos brasileiros.

MIGRAÇÕES MODERNAS

Nas últimas décadas do século XX, muitos brasileiros passaram a buscar oportunidades em outros países. Descendentes de imigrantes japoneses sentiram-se atraídos pelo dinamismo da economia japonesa e pelas oportunidades de emprego oferecidas e emigraram para o Japão, invertendo a rota trilhada por seus pais e avós.

Países europeus, como Portugal, Itália, Espanha e Inglaterra, também atraíram milhares de brasileiros desejosos de novas oportunidades de trabalho e melhores condições de vida.

No mesmo período, os Estados Unidos atraíram muitas levas de latino-americanos, entre eles milhares de brasileiros, que queriam lá se estabelecer. Alguns atravessaram as fronteiras americanas sem permissão do governo, assim se tornando imigrantes ilegais.

No início do século XXI, a Europa tinha mais imigrantes do que a América do Norte. Muitos vieram de países africanos ou do Oriente Médio, causando uma grande mudança cultural no continente europeu.

O Canadá criou uma política especial para atrair imigrantes, e muitos brasileiros foram para lá na primeira década do século XXI.

Com a crise econômica mundial que atingiu os países mais desenvolvidos, muitos dos que haviam migrado para o Japão e para os Estados Unidos viram-se forçados a voltar.

O tipo de migração mais comum, no entanto, é a interna, principalmente de regiões agrícolas para áreas urbanas. Com isso, cidades no mundo inteiro, sobretudo em países em desenvolvimento, crescem a uma velocidade assombrosa e enfrentam graves problemas sociais.

Haitianos em busca da residência legalizada na República Dominicana apresentam seus documentos às autoridades do país, em 2015. Desastres naturais, como o terremoto de 2010, forçaram muitas pessoas a deixar o Haiti. O Brasil também recebeu alguns desses imigrantes.

Disponível em: https://escola.britannica.com.br/artigo/migração-humana/481905 Acesso em: 18 de mar de 2021

ATIVIDADES

1. Quais foram os principais motivos que desencadearam as migrações para o Estados Unidos durante os séculos XIX e XX?

2. Quais são os principais motivos que forçam pessoas e populações a deixarem seu local de origem?

3. Leia o texto a seguir.

Evitar o êxodo rural é o principal desafio da política interna chinesa

A luta de clãs perante o 18º Congresso do Partido Comunista da China não mudará, provavelmente, um dos principais eixos da política interna chinesa: impedir o êxodo rural, ainda mais agora que as pessoas que vivem nos centros urbanos superaram pela primeira vez a população do campo no país. […]

Portal Terra, 30 set. 2012. Adaptado.

O conceito migratório em destaque na manchete da reportagem acima significa:

a) (  )a migração, em massa, de trabalhadores do campo para as cidades em um mesmo território.

b) (  )a saída de pessoas de países predominantemente rurais para sociedades urbanizadas.

c) (  )o deslocamento diário e contínuo da população do campo para trabalhar nas grandes cidades.

d) (  )a perda da população rural em razão do deslocamento desta para outros países.

4 Leia o texto a seguir.

“O Ministério da Justiça brasileira, entre 2009 e o primeiro semestre de 2011, regularizou a permanência no Brasil de 18.004 bolivianos. De acordo com as estatísticas, os bolivianos são a comunidade estrangeira que mais cresce em São Paulo, e a principal motivação para esse deslocamento é a busca por emprego”.

Disponível em Bolivianos no Brasil. Acesso: 08 jul 2013.

Nesse contexto, o deslocamento feito pelos bolivianos

a) (  )coloca-os na condição de imigrantes em território brasileiro.

b) (  )corresponde a um processo de migração pendular.

c) (  )classifica-os como emigrantes no espaço brasileiro.

d) (  )configura um processo de migração sazonal.

5. O processo de migração é resultante de vários fenômenos políticos, econômicos e sociais, os quais modificam as sociedades. No Brasil, um intenso processo de movimentação da população ao longo da segunda metade do século XX provocou várias mudanças no país. A principal consequência desse movimento da população nacional foi o aumento da população urbana brasileira. Esse movimento é chamado de:

a) (  ) refugiados ambientais. b) (  ) migrações externas.c) (  ) fuga de cérebros. d) (  ) êxodo rural.

6. Nossos ancestrais dedicavam-se à caça, à pesca e à coleta de frutas e vegetais, garantindo sua subsistência, porque ainda não conheciam as práticas de agricultura e pecuária. Uma vez esgotados os alimentos, viam-se obrigados a transferir o acampamento para outro lugar.

HALL, P. P. Gestão ambiental. São Paulo: Pearson, 2011 (adaptado).

O texto refere-se ao movimento migratório denominado:

a) (  ) sedentarismo.b) (  ) transumância.c) (  ) êxodo rural.d) (  ) nomadismo.

Se for possível, clique aqui para baixar ou imprimir a aula.