Portal NetEscola

Povos da Antiguidade na África: os Núbios, o Reino de Kush e os Etíopes – Atividade 9 - 19/05/2021

Reino de Kush

O antigo Reino de Kush ou Cuxe localizava-se na Núbia, uma extensa região situada ao sul do Egito, onde, atualmente, encontram-se o Egito e o Sudão. Por possuir uma grande quantidade de minas de ouro, os árabes chamavam a região de nuba (nub significa ouro na escrita hieroglífica; assim, Núbia significa terra do ouro).

Em tempos mais remotos, a região da Núbia foi utilizada como importante ponto de encontro entre os povos do Mediterrâneo e da África Central.

O Reino Kush está localizado, entre os atuais Egito e Sudão. Entre 1580 a.C. e 1530 a.C., aproximadamente, o Egito conquistou o Reino de Kush. Durante o domínio egípcio, o governo na região da Núbia era exercido por um vice-rei de origem cuxita, nomeado pelo próprio faraó. Os cuxitas também eram obrigados a pagar tributos aos egípcios. Por volta de 1000 a.C., o Reino de Kush conseguiu se libertar do controle egípcio, embora o contato entre esses povos tenha permanecido.

Embora a união entre o Reino de Kush e o Egito tenha criado um poderoso império, os ataques assírios contra a região continuaram. O último dos faraós núbios, Tenutamon, foi derrotado e obrigado a voltar à cidade cuxita de Napata sua primeira capital. Mesmo com o fim da dinastia dos faraós cuxitas, o Reino de Kush não desapareceu, sendo reorganizado ao redor da cidade de Méroe sua segunda capital. Seu declínio só ocorreu nos primeiros séculos da Era Cristã, entre 320-350 d.C., o reino africano de Axum, situado ao norte da atual Etiópia, conquistou o Reino de Kush.

Os faraós cuxitas (Faraós Negros) usavam coroas enfeitadas com duas serpentes, que simbolizavam o controle de Kush e do Egito.

Inicialmente, os núbios viviam como nômades, dedicando-se à caça, pesca e coleta de alimentos. Assim como os egípcios, eles desenvolveram ao longo do tempo técnicas para represar e canalizar as águas do Rio Nilo. Ao utilizarem esses recursos, tornaram-se sedentários.

Até o fim da dinastia dos faraós cuxitas, a capital do Reino de Kush era Napata. Os cuxitas desenvolveram, nesse período, atividades ligadas à pecuária, com a criação de cabras, cavalos e burros. Com o fim da dinastia cuxita, a capital do reino foi transferida para Méroe, e as atividades passaram a ser mais dedicadas à agricultura, especialmente de trigo, cevada e sorgo ou durra (espécie de cereal similar ao milho e rico em proteínas), visto que as novas terras recebiam chuvas mais abundantes.

As terras do Reino de Kush também eram ricas em metais, como o ferro e o ouro, e em pedras preciosas. As atividades de mineração eram controladas pelo poder real cuxita, o que permitia aos governantes a manutenção de seus poderes e fortunas. O ouro, especialmente, era utilizado em trocas comerciais com Egito e Roma.

A experiência com pedras e metais preciosos estimulou o desenvolvimento do artesanato, que possuía desenhos bastante refinados em suas peças. As atividades artesanais de marceneiros, ferreiros e tecelões eram muito valorizadas no reino. A cerâmica também foi bastante desenvolvida pelos cuxitas e, no início, era feita somente pelas mulheres, o que mudou com o passar do tempo.

O comércio estimulou trocas culturais entre cuxitas e outros povos, como egípcios, gregos, persas e indianos. Porém, os cuxitas tinham consciência sobre sua própria independência, o que representava um grande incentivo para que inventassem técnicas específicas e estimulassem sua própria cultura.

O atual Sudão é o país que abriga a maior quantidade de pirâmides construídas e preservadas: cerca de 255 monumentos, número superior ao do Egito, que possui 138 construções. Os cuxitas, assim como seus vizinhos egípcios, também adotaram o costume de enterrar alguns mortos em pirâmides.

A escolha dos reis cuxitas era realizada de forma diferente do que ocorria no Egito, onde o faraó era sucedido por seu filho. Em Kush, geralmente, os líderes das comunidades (chefes militares, altos funcionários do reino, líderes de clãs e sacerdotes) votavam no líder considerado mais capacitado e preparado para exercer a função de rei. No Reino de Kush, o rei não governava sozinho. Altos funcionários e conselheiros, o escriba-mor e outros escribas, chefes do tesouro, chefes de arquivo, entre outros, auxiliavam-no na administração do reino. Os militares eram valorizados na sociedade cuxita, pois a proximidade com o Egito os mantinha sempre em alerta para possíveis guerras e conflitos. Seus exércitos eram compostos por arqueiros e guerreiros.

As mulheres possuíam um papel importante na política cuxita. Muitas delas, mães ou esposas dos reis, conseguiram chegar ao poder, sendo consideradas candaces, que significava Rainhas-Mães. Na sociedade cuxita camada dirigente era formada pelo rei e seus familiares, além de nobres e sacerdotes. Também havia uma aristocracia provicincial. Abaixo dela, havia comerciantes, artesãos, soldados e funcionários do reino. Por fim, os criadores de animais e agricultores, todos livres, formavam a maioria da população cuxita. Assim como os egípcios, os cuxitas eram politeístas e cultuavam tanto divindades egípcias quanto deuses meroítas. Além disso, alguns animais eram considerados sagrados, como o carneiro, o leão, o crocodilo e o gato.

Disponível em: https://www.coladaweb.com/historia/reino-de-kush acesso em 06 de maio de 2021

Disponível em: https://docplayer.com.br/39879391-A-nubia-e-o-reino-de-kush-prof-andre-vinicius.htmlacesso em 06 de maio de 2021

  1. Onde está situada o reino Kush ou Cuxe e, atualmente, corresponde a qual região?

2. Preencha os espaços em branco com o nome das capitais do reio Kush. Até o fim da dinastia dos faraós cuxitas, a capital do Reino de Kush era________. Com o fim da dinastia cuxita, a capital do reino foi transferida para_____________.

3. Faça um inventário da sociedade Núbia o Reino de Kush, destacando os aspectos culturais como:  economia, ciência e arte, sociedade, política e religião preenchendo o quadro a seguir:

4. Os árabes chamavam a região de Núbia que significa terra:

(   ) do ouro

(   ) das pirâmides

(   ) do Nilo

(   ) do Faraó

5. Inicialmente, os núbios viviam como nômades, dedicando-se à caça, pesca e coleta de alimentos. Qual evento ou acontecimento levou este povo a tornar-se sedentário?

6. O antigo Reino de Kush ou Cuxe localizava-se na Núbia, o atual Sudão é o país que abriga a maior quantidade de determinadas obras arquitetura. Das imagens a seguir qual delas representa essas obras de arquitetura estão no Sudão.

7. Como se chamava essa obra de arquitetura e quantas ainda existem no Sudão em estado de preservação?

8. Sobre o reino da Núbia ou Cuxe, assinale nas alternativas a seguir (V) para as verdadeiras e (F) para as falsas.

a) (   ) A região da Núbia foi utilizada como importante ponto de encontro entre os povos do Mediterrâneo e da América Central.

b) (   ) Durante o domínio egípcio, o governo na região da Núbia era exercido por um vice-governador de origem cuxita, nomeado pelo próprio faraó.

c) (   ) O reino africano de Axum, situado ao norte da atual Etiópia, conquistou o Reino de Kush.

d) (    ) Os cuxitas, assim como seus vizinhos egípcios, também adotaram o costume de enterrar alguns mortos em pirâmides.

9. Com base no texto e na leitura da imagem descreva como era o papel da mulher na política cuxita.

10. O continente africano teve papel fundamental na construção da identidade brasileira, mas a imagem que se tem do continente é como um lugar onde só existe miséria, guerras étnicas, escravos, instabilidade política, doenças e fome. Com base no inventário que você fez na atividade 3 qual é a visão que você tem da África? Você acredita que ela sempre foi pobre e cheia de miséria?

Escreva um parágrafo contando qual é a visão que você tem da África após a leitura deste texto.

Se for possível, clique aqui para baixar ou imprimir a aula.