Portal NetEscola

Futsal – Treinamento Específico de Goleiros – Aula 2 - 18/05/2020

FUNÇÃO DO GOLEIRO

Atuar no gol é parte da base defensiva de uma equipe. Função única no futebol, é cada vez mais explorada de novas formas que vão além das habilidades debaixo das traves, mas você sabe como ser goleiro e atuar com qualidade?

Hoje em dia, quem joga nessa posição precisa ter segurança no gol, bem como boa qualidade técnica, agilidade e inteligência com a bola nos pés. O Brasil tem alguns dos maiores nomes da história e não é justo dizer que o país fica atrás quando o assunto é o goleiro, não é verdade?

 

 

Fonte: https://mrvnoesporte.com.br/como-ser-um-bom-goleiro-confira-15-dicas/

TEXTO 1

 

Como ser um bom goleiro

 

O goleiro é o único jogador de uma equipe de futebol que pode tocar a bola com as mãos com o jogo “rolando”. É ele quem “soca” o perigo para fora da área em um escanteio e orienta a barreira na hora de uma cobrança de falta, por exemplo.

O ideal é que a zaga consiga impedir um chute direto ao gol, mas caso isso aconteça, ali estará o goleirão para espalmar em uma defesa difícil ou encaixar a bola nos braços para uma rápida reposição aos companheiros de linha.

 

 

Como ser goleiro e ajudar o time com a bola fora da área?

 

Além de ser a última esperança quando todos os recursos para tomar a bola do adversário falharam, o goleiro também pode atuar como um “capitão” da zaga pois tem uma visão privilegiada da movimentação de todos os jogadores no campo, concorda?

Por isso, ele pode ajudar orientando os companheiros de defesa e encontrando o companheiro mais bem posicionado para receber uma bola e armar um belo contra-ataque. Por isso, treinar reposição de bola tanto com os pés quanto com as mãos é essencial se você pretende ser goleiro com qualidade.

Os goleiros costumam ser consagrados após uma disputa de pênaltis. Então, treine bastante esse fundamento e, se possível, estude o adversário.

 

Dá para ser goleiro e entrar para a história?

 

É claro que sim! A história da nossa seleção brasileira é repleta de capítulos dedicados a reverenciar grandes nomes que calçaram luvas além de chuteiras para defender a pentacampeã camisa amarelo-canário. Confira os maiores entre eles:

 

Gylmar

Jogou em grandes equipes como o Corinthians na década de 50 e no Santos de Pelé em 60. Foi o goleiro da seleção bicampeã do mundo em 1962 e é considerado um atleta completo. Conquistou ao menos um título em cada competição que participou.

Taffarel

Jogou 3 Copas do Mundo pela seleção brasileira de 90, 94 e 98. Também é um goleiro recordista em número de jogos pela seleção, tendo completado 123 partidas. É considerado um dos responsáveis pelo título do tetracampeonato — ele pegou a penúltima cobrança dos italianos e, na última, Roberto Baggio chutou por cima do gol.

Naquele momento, Galvão imortalizou o bordão “é tetra, é tetra” e Taffarel seu nome na história do futebol. Hoje ele é treinador de goleiro da seleção brasileira. Jogou muito bem pelo Internacional e ainda é ídolo do Atlético Mineiro.

 

Marcos

 

O goleiro do penta de 2002 foi também um grande herói para o Palmeiras ao defender uma cobrança de pênalti de Marcelinho Carioca do Corinthians, na Libertadores de 1999. Na Copa, foi o único jogador que não precisou ser substituído.

 

Félix

Um verdadeiro fenômeno, se profissionalizou com apenas 15 anos no Juventus da Mooca, mas começou a jogar bola pelo Nacional. Foi o goleiro da melhor de todas as seleções, a do tricampeonato de 70, e disputou 48 jogos representando o Brasil.

 

 

Quais as melhores dicas para ser goleiro?

 

1. Aposte no condicionamento físico

 

Não são apenas os jogadores de linha que precisam manter um condicionamento físico de alto nível. É verdade que o goleiro é menos exigido nesse sentido, pois atua em momentos pontuais do jogo. No entanto, ele precisa estar sempre atento como parte essencial do esquema tático e dar o suporte com os pés ou sair do gol em bolas aéreas, por exemplo.

Por isso, cuidar da parte cardiovascular é muito importante. Um goleiro bem preparado fisicamente terá reflexos positivos na sua agilidade, no seu apuro técnico e na força necessária nos tiros de meta.

 

 

 

2. Trabalhe com um treinador de goleiros

 

Um bom goleiro se faz na preparação e na base dos treinamentos. O futebol avançou a um ponto em que novas práticas têm sido adotadas no treino dos arqueiros. São exercícios que estimulam todos os aspectos da defesa e também a reposição de bola com as mãos e com os pés.

Para estar entre os melhores nessa função, ter um bom treinador é primordial. Eles são os responsáveis pelo cronograma de preparação, e uma boa relação com esse mentor pode levar a atuação do goleiro a altos patamares.

 

3. Aposte em treinamentos físicos e técnicos regulares

 

Lembre-se de realizar tanto os treinamentos básicos e avançados quanto apostar em exercícios capazes de melhorar o seu rendimento como um todo. Atividades que potencializam sua força, velocidade, elasticidade, segurança e reflexo, por exemplo, devem ser abordadas.

Também é importante praticar exercícios que aprimorem o tempo de reação, que nada mais é que o tempo que o goleiro leva para reagir após um chute.

Como treinamento físico, inclua na sua lista de atividades a corrida, que vai contribuir com a capacidade respiratória e melhorar a sua resistência. Já o alongamento é responsável por aumentar a elasticidade, o que vai ajudá-lo a alcançar todas as bolas.

Não se esqueça também de realizar o deslocamento lateral e frontal, exercício que vai auxiliar na questão da agilidade. Já o deslocamento de costas e de frente, mesclando média e alta velocidade, é capaz de aprimorar a noção de espaço e tempo nos cruzamentos.

Tão importante quanto os treinamentos físicos é dedicar um bom tempo também ao treinamento técnico. Quer alguns exemplos? Comece com jogadores realizando uma série de 6 a 10 chutes frontais, à altura do tórax do goleiro.

Depois, faça o mesmo exercício, mas com o deslocamento lateral desta vez. É indicado também treinar chutes a meia altura com queda, mas sem saltar — basta que o atleta pegue a bola e caia.

Para melhorar a impulsão, o treinador deve jogar a bola para o alto — ao menos 2 metros acima do goleiro —, que por sua vez vai saltar, levantando o joelho direito e revezando esquerdo. Essas são apenas algumas das opções. O ideal aqui, como já dito, é ter o auxílio de um treinador bem capacitado que vai conseguir elaborar um cronograma adequado para o aluno.

 

 

4. Tenha vocação para atuar no gol

Quando pequenos, todos os apaixonados por futebol vão se conhecendo dentro das quadras ou dos campos. Características físicas, técnicas e até psicológicas moldam cada um para uma função no time, e com o goleiro não é diferente. Essa identificação com a defesa e com o trabalho debaixo das traves é imprescindível para atuar bem na posição.

Um conceito básico para ser um bom goleiro é gostar de jogar na posição e se entregar totalmente. Um atleta dessa categoria não pode ter medo da bola e precisa saber atacá-la em situações de risco como se fosse a coisa mais importante naquele momento. Além do mais, não se deve ter — em hipótese alguma — receio de machucar.

 

5. Pratique as habilidades com os pés

 

futebol moderno está repleto de goleiros habilidosos quando a bola está nos pés e muitos são tão talentosos quanto os jogadores de linha. Como o último homem de uma defesa, ele é a âncora que pode criar jogadas com lançamentos ou desafogar uma pressão se tiver um bom controle.

Por isso, dedicar parte do tempo para desenvolver a habilidade com a bola nos pés é essencial na busca por ser um bom goleiro. Aposte nisso!

6. Fique concentrado

 

Acredite: em um piscar de olhos todo o jogo pode mudar e uma roubada de bola pode ser fatal! É nesse sentido que surge a importância de se manter concentrado durante toda a partida. Não perca nenhum detalhe da competição — até porque você não quer correr o risco de sofrer um gol por falta de atenção ou ainda levar um frango, não é mesmo?

Então, certifique-se de manter os olhos na bola e também nos jogadores, tentando prever e antecipar as próximas jogadas. Entender a linguagem corporal aqui faz toda a diferença — mas não para por aí. É fundamental analisar, com atenção, cada adversário já nos momentos iniciais da partida, sobretudo os meias e atacantes.

Observe a capacidade técnica de cada um, levando em consideração vários fatores como: potência do chute, impulsão e dribles. Além do mais, jamais dê as costas para o campo enquanto a bola estiver rolando, combinado?

 

7. Acerte o tempo da bola

 

Não são raros os casos de goleiros que sofrem gol porque perderam o tempo da bola. Quer um exemplo? Suponhamos que, em um escanteio, você se apavorou e saiu antes mesmo do lançamento. Aí, meu amigo, é só o time adversário correr para o abraço.

Outra gafe relativamente comum é o goleiro sair durante uma falta ou cruzamento para tentar esmurrar a bola, mas não alcançá-la, dando uma bela oportunidade para o outro time finalizar o ataque.

Não à toa, um bom goleiro sabe que é primordial aprender a trabalhar o tempo da bola, já que um milésimo de segundo é mais do que o suficiente para surgir uma zebra.

Não existe uma regra que garanta 100% de eficácia nesse fundamento, até porque é bem difícil dizer qual é o momento exato para se deixar o gol. Por isso, é importante treinar constantemente e, claro, levar em consideração o seu instinto.

 

8. Atente-se ao posicionamento

Um goleiro diferenciado é reconhecido não só por realizar saltos espetaculares, mas também por ser firme, seguro e, claro, constante. Ele precisa se atentar em relação ao seu posicionamento, garantido que o corpo esteja atrás da linha da bola.

Além do mais, quando estiver esperando um chute, é recomendado flexionar as duas pernas e tocar o solo com um dos joelhos. O motivo? Assim, fica mais fácil de evitar que a bola passe no vão das pernas. Lembre-se ainda que muitos jogadores arriscam encobrir o goleiro, sobretudo quando eles estão mal posicionados.

Em relação às mãos, mantenha-as firmes. Afinal, você não quer ser conhecido como um goleiro mão de alface, não é mesmo? Se for uma bola difícil, opte apenas por socá-la, afastando o perigo para longe. Caso tente agarrá-la, certifique-se de flexionar o braço para trazê-la para perto do peito.

Atenção especial para cenários adversos. Quando o gramado estiver molhado ou irregular, por exemplo, o ideal é que você se projete sobre a bola, no estilo peixinho mesmo, pressionando-a contra o peito e aí, basta cair sobre ela.

 

 

9. Estude outros goleiros

Por que alguns goleiros se destacam? Como eles conseguem pegar tantas bolas? O que fazem para acertar o lado dos pênaltis? Infelizmente não há uma resposta precisa para as questões, mas o fato é que estudar aqueles goleiros que são referências mundiais vai contribuir para que você seja um profissional mais capacitado.

 

Além do mais, tenha em mente que o ditado “a prática leva à perfeição” é uma máxima no universo dos esportes. Por isso, tão importante quanto estudar e analisar as teorias é manter a regularidade nos treinos.

 

10. Comunique-se com a sua equipe

 

O goleiro tem uma visão melhor sobre o jogo, uma vez que ele consegue enxergar o que se passa em todo o campo. Não à toa, ele deve saber orientar o seu time, dando dicas e toques para conseguir um cenário satisfatório. Nesse sentido, é essencial manter um diálogo direto com a zaga, evitando que surjam brechas na defesa.

Lembre-se, nesse contexto, que a comunicação entre todo o time é capaz de gerar melhores resultados. Afinal, o diálogo durante a partida é capaz de tornar a equipe mais equilibrada, deixando todos os jogadores em sintonia.

 

 

11. Pratique exercícios de fortalecimento muscular

 

O goleiro precisa fazer esforços explosivos de gasto de energia, diferente do jogador de linha que cadencia seu esforço ao longo da partida. O fortalecimento muscular vai ajudar a ter mais firmeza para executar as defesas e a diminuir os riscos de lesões.

O goleiro é um jogador pouco visado para receber faltas, mas em uma disputa dentro da área pode sobrar para qualquer um, não é verdade? Por isso, os músculos precisam estar “preparados” para constantes colisões. Confira alguns tipos de exercícios para ajudar no fortalecimento muscular:

 

  1. abdominais;

  2. flexões de braço;

  3. prancha;

  4. barra;

  5. agachamento;

  6. levantamento de peso.

 

12. Treine saltos exaustivamente

 

Mesmo sozinho é possível “ensaiar” algumas “catadas”, concorda? Com marcações no campo, você pode testar suas habilidades de saltar de um canto para outro embaixo do travessão. Com o auxílio de pesos nos tornozelos dá para levar o treinamento de saltos para outro nível, mas se prepare para ficar cansado de verdade!

Nessa mesma pegada, você consegue simular defesas de rebote. Imagine que o tempo que leva para se recompor e armar o próximo salto é o tempo que o ataque adversário

levaria para chutar novamente a gol, entende? Se tiver o auxílio de um preparador para arremessar ou chutar a bola nos cantos, melhor ainda.

 

13. Utilize os reflexos apurados a seu favor

 

Você é craque em defesas de curta distância? Consegue utilizar os pés para fazer defesas no chão e a meia altura? Saiba que essa é uma característica rara entre goleiros, mas é considerada um recurso primoroso. Lembra da defesa do Victor no pênalti cobrado por Riascos na Libertadores de 2013? Pois é disso que estamos falando!

Observe os goleiros de futsal e handebol para se inspirar, são verdadeiros mestres em reflexo e técnicas de defesa a curta distância. Ter reflexos apurados é uma questão de treino e de estar ligado ao jogo — quanto mais bem posicionado estiver, mais fácil será reagir na hora do ataque adversário.

 

14. Treine exercícios de elasticidade

 

Também é válido observar o treino de alongamento dos goleiros de handebol para trabalhar a elasticidade. Na função que exercem, precisam muitas vezes alcançar a “forquilha” com os pés para impedir o gol. Os atletas de artes marciais, por exemplo, também podem fornecer conhecimentos valiosos para alongamentos que melhoram a elasticidade.

Em algum momento de sua carreira, já que escolheu ser goleiro, você vai precisar se “esticar” todo para defender uma bola mais difícil. Lembre-se de alongar também a lombar e os braços, certo? Aproveite o momento do alongamento para relaxar os músculos. O treinamento físico não precisa ser tão intenso, mas deve ser realizado regularmente.

 

15. Fortaleça o sistema cardiovascular

 

Lembra que citamos como o gasto energético do goleiro pode ser muito intenso e repentino? Fortalecendo o sistema cardiovascular, você vai se sentir mais vigoroso para chegar na bola e recuperar o fôlego com mais facilidade. Veja exemplos de atividades que ajudam a fortalecer o sistema cardiovascular:

 

  1. caminhada;

  2. cooper;

  3. bicicleta;

  4. natação;

  5. pular corda;

  6. dançar;

 

 

Evite a ingestão de bebidas alcoólicas e principalmente não consuma cigarros. Afinal, o cigarro retarda o fluxo de oxigênio no sangue e dificulta bastante a respiração — péssima ideia para qualquer um, principalmente para atletas, não é mesmo?

 

 

E aí, gostou de nossas dicas de como ser goleiro? Ter boas referências e se dedicar ao máximo são pontos-chaves para se tornar um grande atleta. Portanto, vá fundo! Aposte naquilo em que você acredita e não desista do seu sonho — não importa se você quer ser goleiro profissional ou apenas melhorar suas habilidades para o torneio interclasses.

 

 

 

Fonte: https://mrvnoesporte.com.br/como-ser-um-bom-goleiro-confira-15-dicas/

 

 

Obs: Lembrando que não deve esquecer de hidratar bastante e alongar antes e depois de realizar os exercícios.

 

 

 

ATIVIDADE PROPOSTA

 

 

Leia o texto abaixo realizando uma profunda reflexão sobre o assunto e faça uma redação reproduzindo o que você acha mais importante e envie para o seu professor.

 

 

 

 

 

Material produzido por:  Nayara Ramos Martins da Silva

CRE Itumbiara

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *